segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

A queda de Maya




Meu olhar se abre para uma nova realidade,ultrapasso pequenas barreiras,adentro no enorme vazio das formas,sou envolvido pelo vazio e de lá contemplo a realidade e a inteireza do ser.Somos constantemente desconectados da nossa fonte de energia,a todo momento somos bombardeados pelo imenso véu da ilusão que não nos permite perceber a realidade e a verdadeira essência das coisas.Um som se forma,o universo é criado e algo unido,torna-se dividido.O mecanismo que levará todos a unidade é o amor puro que brota do mais íntimo de nosso ser,e quando percebemos que está fonte não se esgota podemos doa-lá a cada ser,cada pequeno detalhe ganha vida e cada pequena vida ganha detalhe.O que mais assusta as pessoas é a capacidade que temos de gerar a luz e não a nossa escuridão.Devemos nos perguntar a todo o instante,podemos ser brilhantes e fabulosos?Encolher-se diante dos problemas não serve ao mundo,devemos crescer e expandir essa luz que reside dentro de nossos corações.Iluminar as pessoas em cada momento,por onde passarmos temos que deixar a nossa maior marca.Ilumine-se de amor,expanda essa imensa energia que habita dentro de você,desta forma estará possibilitando a expansão desta luz para outras pessoas.Lembre-se sempre que a medida que libertamos os nossos medos e nossa simples presença liberta o medo de outras pessoas.Acenda a luz do seu coração,amplie os seus sorrisos e resolva tudo com um pequeno brilho e assim brilhando o mundo brilhará para você.

2 comentários:

  1. Retirar o véu de Maya pode ser a maior ação da raça humana...lutemos pra isso!

    Beijos

    ResponderExcluir